fbpx

Seja o primeiro a saber.
Assine a nossa newsletter.

Três dicas rápidas de Oratória para um momento de apuro

IMG_0328

Por Diane Bikel

Estabelecer um bom orador não é tarefa fácil. Muitas pessoas ainda acreditam que falar bem guarda a ideia de arte, um dom advindo do tempo dos clássicos oradores. Mas podemos pensar que somos todos dotados de comunicação e nos comunicamos todo o tempo, informal ou formalmente. Isto, então, poderá ser visto como algo comum e natural.

A questão é que nós sabemos atender a nossa necessidade diária de comunicação e interação sociais. E isso é um pouco diferente de quando se trata de falar em público, em enfrentar uma platéia, que não necessariamente seja grande. Um público também é um grupo de cinco ou dez pessoas. É justamente nessas condições que a comunicação parece se transformar em arte. Durante o dia-a-dia não nos preocupamos tanto como falamos e é isso que gera insegurança para a comunicação em público. É difícil mesmo expor-se a uma situação na qual todo cuidado parece ser pouco.

Assim, para sermos bons oradores, antes de aprendermos o sentido de arte, devemos partir de nossas relações de comunicação diárias. Delas dependem, também, as adaptações e ajustes para se falar em ocasiões especiais, como debater algo no bar com amigos. Afinal de contas, em qualquer que seja a situação, a fala natural deve ser cultivada e cuidada.

Existe um artigo chamado: Comunicação como estratégia para o desenvolvimento pessoal e profissional em contextos múltiplos, escrito por Denise Abadia Pereira Oliveira, que traz que a Oratória tem o poder de aprimorar capacidades e é uma das razões que movem a existência do ser humano. Na atualidade, comunicar-se bem é uma aprendizagem desejada por muitos que acreditam que a comunicação pode ser desenvolvida através de posturas, atitudes e muito estudo.

Algumas dicas rápidas que podem ajudar em um momento de apuro:

1. Cuide de sua linguagem corporal: toda e qualquer movimentação deve ser consciente. Entenda a importância das expressões. O corpo também fala e a movimentação deve estar coerente com o que está sendo dito.

2. O silêncio às vezes pode ser um ponto-chave: saiba usar a voz e também as pausas. Encontre um ritmo de fala que se conecte com seu público, varie o tom de voz e, quando necessário, dê uma pausa. Respire. O silêncio se comunica também e prende a atenção do público, assim você tem aqueles segundinhos para organizar seu raciocínio e dar continuidade.

3. Organize o seu conteúdo: ao se preparar, organize tudo o que você precisa falar. Defina um tema central, divida em narrativas e tópicos menores, mas garanta que ambos estejam de acordo. Escreva palavras-chave para cada narrativa e ensaie. Se na hora, acontecer de esquecer, lembre dessas palavrinhas para voltar ao conteúdo central.

 

Apenas se comunique.

E aí, gostou das nossas dicas? Não esqueça de marcar #ExercícioDaImpulsione nos seus stories quando for testar novas abordagens. Queremos ver você fazendo acontecer nas suas redes sociais e mostrando a carinha que está por trás das boas ideias! 🙂